CENTRO DE ABASTECIMENTO , UMA IDÉIA VISIONÁRIA.

Há quarenta anos pensar em acabar com Feira Livre que originou a Feira de Santana, a Princesa do Sertão, só na cabeça de um gestor visionário.
.
Esse visionário existiu na pessoa do Prefeito José Falcão, que acabou com o impossível.
.
A Feira Livre se modernizou e deixou as ruas às segundas feiras e passou a ser de segunda a sábado, no Centro de Abastecimento, quase sem dormir.
.
Pois é, no Centro de Abastecimento quase não se dorme. Acorda-se cedo, por volta da meia noite, com a chegada dos caminhões, carregados com frutas, verduras, cereais, artesanato e diversos outros produtos para serem comercializados no varejo e a grosso.
.
As barracas de comida e bebidas já estão prontas para alimentar a tantos trabalhadores, comerciantes e os boêmios vindos de bares, das festas, dos bregas ou puteiros. Na barraca da Tia Nita, há alguns anos, tive oportunidade, de comer a mais saborosa feijoada da minha vida.
.
Não sei se pela fome da madrugada ou pelo tempero extra do pano de prato, que às vezes lhe
servia de lenço para enxugar o suor do rosto, provocado pelo panelão fervente no fogão à lenha.
.
Tia Nita, uma simpática morena, desdentada, acolhedora e super simpática. Uma Lady da boêmia, que se mantem viva até hoje na minha memória.
.
O Centro de Abastecimento, vira uma zona geral, mesmo na madrugada, com muita prosa, falatório aos berros, negócios são fechados e contas são pagas, namoros são iniciados, outros finalizados, uma confusão ali outra acolá, mas tudo na mais harmoniosa confraternização entre boêmios, trabalhadores e uns poucos sem fazer nada.
.
Tem de tudo, agência bancária, farmácia, barbearia, salão unisex, teatro de arena, oficinas de pequenos consertos, bancas de jogo do bicho, venda de crack, cocaína, maconha , bares, lanchonetes, restaurantes, boxes de quinquilharia a quase todos os gêneros comestíveis, vestuário e calçados.
.
Só não tem hotel ou pensão. Quem tem sono e não liga par conforto dorme no chão, dentro de barracas, na boléia do caminhão ou no carro de mão.
.
Os milhares de pessoas que circulam comprando ou comercializando, são de pessoas humildes, de pele curtida pelo sol do sertão, sorriso largo e fácil, típicos de um povo hospitaleiro, forte e alegre, apesar de serem as maiores vítimas da desigualdade social que parece ser impossível de acabar.
.
Bem planejado, no centro da cidade, o Centro de Abastecimento, carece de melhor administração.
.
Poderia ser mais bem aproveitado. Não se admite os mesmos descasos da era medieval, com a higiene, no manuseio, no armazenamento dos alimentos, principalmente das carnes, dos peixes, das aves, das frutas, dos legumes e verduras.
.
Há poucos coletores de lixo, pias e saboneteiras para lavar as mãos, não vi uma só, a conservação da estrutura central, barracas e alguns boxes necessitam de reparos.Organizar esse importante centro comercial e ter um efetivo departamento de manutenção seria de grande benefício para todos, não custa muito e a saúde pública agradece.
.
As fotos abaixo falam por si. Click na imagem que quiser ver ampliada.
.
Eduardo Leite



Tia Nita, fiquei feliz ao saber que ainda viva e no batente, que tanto ama, e o seu inseparável exuga pratos e/ou toalha de suor. Arquivo BF.









CENTRO DE ABASTECIMENTO , UMA IDÉIA VISIONÁRIA. CENTRO DE ABASTECIMENTO , UMA IDÉIA VISIONÁRIA. Reviewed by Eduardo Leite on 2:00 PM Rating: 5

4 comentários:

janio rego disse...

jornalista eduardo leite, parabéns pela reportagem, uma cronica,um retrato desse local maravilhoso e que reafirma o nosso nome Feira.
um abraço,
jânio rêgo

Eduardo Leite disse...

Amigo Jânio.

Quisera eu ser jornalista.Bem que gostaria.Apenas me considero um posta letras que procura retratar as coisas e causos da nossa terra e dessa gente sofrida do sertão tão fértil ao tempo que tão agreste.Como bem sabes, também me atrevo a escrever sobre a medicina que tanto amo e que me faz lamentar pelos desmandos de uns tantos violadores da ética, da boa prática médica,do caótico sistema de saúde público, dos equívocos do sistema privado e do ensino médico. E como se não bastasse, também, dedico-me ao tempo que me é permitido a protestar sobre os desmandos tão vorazmente aplicados pela maioria dessa raça de depravados, com raríssimas excessões,composta por políticos que se dizem de bem e que na realidade são homens, mas de bem nada têm e sim muitos bens fruto dos desvios do erário público.
Um forte abraço pelo seu generoso comentário e pela foto da nossa grande Lady, Tia Anita, da boêmia.

Eduardo.

Maria José Esteves-Assessoria de Imprensa disse...

Caro Dr.Eduardo,
Sua crônica retratou de forma fiel o cenário do nosso Centro de Abastecimento, a feira da Feira.
Parabéns!
Zezé Esteves

Jorge Ramiro disse...

O que uma bela imagem! Eu estou contente que possa existir tais feiras. Eles são parte do folclore sul-americano. Basta fazer o atendimento. Você tem que lavar o frango após a compra, para que você não acabe en no serviço de gastroenterologia.

Tecnologia do Blogger.