EMOÇÃO E CÂNCER. O QUE TEM A VER COM A MINISTRA?


Muito se fala sobre a origem do câncer, da hereditariedade, do tabagismo, do alcoolismo, estresse, sedentarismo e maus hábitos alimentares, etc.

Sobre a cura, destaca-se, quimioterapia, imunossupressores, cirurgia, radioterapia e, para que todos esses métodos tenham sucesso a descoberta precoce do câncer é fundamental para obter-se o melhor resultado, a cura.

Os fatores emocionais têm um papel importantíssimo, senão, o maior, na formação de um processo maligno.

Estudos da neuropsicoimunologia já comprovam a influência das grandes perdas, como separação, viúves, morte de filho e outras, na gênese de vários tipos de câncer.

Ter constantes emoções negativas, discussões e atividades sobre forte estresse podem desencadear os mais diversos tipos de câncer, entre eles o câncer de mama e linfomas.

E o fator desencadeante de um processo neoplásico é a baixa imunológica (Auto defesa de cada indivíduo). Estando imunologicamente deprimido, passa o indivíduo a ser uma presa fácil para outras doenças como resfriados, herpes e até o temido câncer.

Deve-se, cada vez mais, dar importância ao estado emocional de cada pessoa que está com câncer e, para isso, o profissional da psicologia deve fazer parte de uma equipe multidisciplinar para pacientes com câncer.

A participação do psicólogo é importante não só para preparar o paciente com câncer, ajudando a aceitar a sua doença e lutar contra ela, como também a importância do psicólogo no processo de cura em si.

Importância essa já bem comprovada em vários estudos da Neuropsicoimunologia pois, com a participação do psicólogo o paciente pode voltar a ter o seu sistema imunológico restabelecido, esse, sem dúvida o maior agente terapêutico para as mais diversas doenças.

A insistência para que a ministra Dilma Rousseff continue no seu trabalho (Estafante e estressante) no ministério e na campanha presidencial, no curso de um discutível tratamento quimioterápico para um linfoma detectado em fase inicial, é uma inconseqüência inaceitável.

Também é estranho ver na sua equipe médica a ausência de um profissional em psicologia com especialização em doenças psicossomáticas (O que não é novidade nas equipes oncológicas).

A ministra deveria afastar-se das suas funções até o término da quimioterapia, ter tempo para ponderar a respeito das suas prioridades existenciais e para isso contar com uma boa orientação psicológica.

Eduardo Leite
eduardoleite1949@gmail.com
EMOÇÃO E CÂNCER. O QUE TEM A VER COM A MINISTRA? EMOÇÃO E CÂNCER. O QUE TEM A VER COM A MINISTRA? Reviewed by Eduardo Leite on 5/22/2009 05:00:00 PM Rating: 5

4 comentários:

Leedyan Casaes - Assistente Social disse...

Quando vi o seu comentario sobre o câncer, lembrei-me dos meus 2 anos de estagio em uma clínica oncologica aqui em Feira de Santana a CEON que conta com uma equipe de profissionais maravilhosa Drº Rafael França,Enfº Silvia Venas Assistente Social Nicéias Aguiar entre outros profissionais. Acompanhei 20 mulheres, 20 historias de vida, alegria, tristeza, solidão, amizade e o pior a perda, a morte.O titulo do meu TCC é "O câncer de mama e seus aspectos psicossociais"
O câncer ajudou-me não só na minha formação em Serviço Social, mais principalmente como ser humano.
Parabéns pelos seus comentarios, são sempre importantes

Leedy disse...

Vale ressaltar tambem a importancia do profissional do Serviço Social que segundo o proprio INCA com a criação dos CACONS e UNACONS é de suma importância. De acordo com a portaria nº 3.535/GM de 02/09/98 estabelece o serviço de suporte deve possuir os serviços e profissionais especialistas nas seguintes áreas:
1ºPsicologia clínica;
2ºHemoterapia
3ºPronto atendimento para as emergências oncológicas;
4ºNutrição;
5ºServiço Social
6ºTerapia Ocupacional
7ºFarmácia...

É uma pena que as clíicas existentes em nossa cidade não pensem assim e que o nosso CACON ainda não funcione como rege essa portaria. Um dia chegaremos lá.
Abraços!!!!

Anônimo disse...

Como vai? Gostaria de pedir uma ajuda a você. Faço o curso de Psicologia. Estou fazendo meu tcc na área da "neuropsicoimunologia". O tema que é "Um impacto do humor sobre a saúde do individuo". Gostaria que me ajudasse indicando alguns livros que você conheça que fale bem sobre esse assunto. Não encontro livros bons sobre assunto. Se souber de algum, por favor me indique. Desde já, desculpe pelo incomodo e obrigada pela atenção. Att. Denise de Carvalho.

Eduardo Leite disse...

Olá, Leedyane .

Um livro muito bom que te recomendo é de Carl Simonton, veja a pagina dele www.simontoncenter.com. Ele é um radioterapeuta na Califórnia que dirige um centro só para pacientes terminais.Há vários livros de neurociência que você pode consultar.Leia também o Ponto de Mutação de Fritjof Capra. Leia sobre fisica quântica.
De desejo sucesso nos seus trabalhos.
Abraços, eduardo leite

Tecnologia do Blogger.