CAOS NA SAÚDE. POR QUÊ AINDA CONTINUA?


O caos na saúde pública tem profundas raízes , raízes essas, que são difíceis de serem erradicadas.

O poderio da indústria farmacêutica aliado aos empresários da doença, contando com péssima formação médica e com a corrupção institucionalizada da nossa sociedade, materializam uma realidade quase impossível de ser revertida.
Nestes vinte últimos anos a construção desse caos, teve significativa participação de antigos dirigentes da SESAB, Secretaria Estadual da Saúde, com apoio de ex-governadores que se diziam comprometidos com a honestidade e transparência.

Praticamente foram vinte anos perdidos, onde não houve construção ordenada de novas unidades hospitalares e/ou melhorias na Rede Própria Hospitalar e incentivo à medicina preventiva e ao saneamento básico.
Os baixos salários, a falta de concurso e plano de carreira para os funcionários gerou insatisfação, desmotivação e abandono de bons servidores.

As falsas cooperativas e outros prestadores de serviços, com preços superfaturados que enriqueceram amigos e sócios ocultos de ex-dirigentes e secretários de saúde.

Feira de Santana, a maior e mais estratégica cidade do interior do Estado, tem um único hospital público, HCA, há 24 anos e um outro, filantrópico, HDPA, também vítima de políticos e empresários da doença, verdadeiros vampiros .

O HCA, literalmente destruído na sua parte física estrutural, rede elétrica, hidráulica, equipamentos médicos sem manutenção, alguns, misteriosamente desaparecidos.

Conseqüência funesta do uso como moeda política.Estes dirigentes e governantes, na realidade deveriam estar presos por terem contribuído com a degradação desse importante patrimônio público.

Infelizmente é difícil executar as leis nesse País. Em vez de cadeia, muitos desses ex-dirigentes gozam as delícias do lucro obtido com o desvio do dinheiro público.
Nestes quase 7 meses como D.G. do HCA encontramos rastros destes ratos e ratazanas que pelo HCA, 2ª. DIRES, SESAB, Governadoria, Hospital Dom Pedro de Alcântara (HDPA), Hospital da Mulher e Prefeitura de Feira de Santana, desviaram recursos e enriqueceram seu legado de imoralidade e improbidade.

O maior adversário para reverter tamanho caos é a máquina burocrática que além de emperrada, muitas vezes, é assassina de vítimas inocentes.

Há muito por dizer, sobre o que de fato aconteceu e o porquê de todo esse caos. Abaixo, as fotos, falam melhor.

Confesso, ainda, sinto-me enojado por constatar a cada dia, tanta imoralidade causada por esses homens que se dizem acima do bem e do mal.

A incompetência da Secretaria Municipal de Saúde de Feira, que é a responsável pela assistência médica de Feira e mais 126 cidades pactuadas, resulta num contingente de pacientes crônicos que, se fossem bem atendidos na rede básica não transformaria um pronto atendimento de urgência em enfermaria de pacientes crônicos.


PISO DA COZINHA COM MAIS DE 24 ANOS SEM REFORMA. AGORA, ESTÁ SENDO AMPLIADA E REFORMADA.

AS PORTAS DAS ENFERMARIAS ESTÃO NESTE ESTADO GOTEIRA NO CENTRO CIRÚRGICO. PROVAVELMENTE HÁ MAIS DE 20 ANOS.

TODAS AS PORTAS DAS SALAS DE CIRURGIAS,QUEBRADAS.

MOBILIÁRIO E ESTRUTURA FÍSICA SEM MANUTENÇÃO.

UM DOS SANITÁRIOS DO PS, ANTES DA REFORMA. FOCO CIRÚRGICO APÓS CURTO CIRCUITO . REDE ELÉTRICA SEM MANUTENÇÃO

REPOUSO DOS ANESTESISTAS

PROCESSADORA DA TOMOGRAFIA SEM MANUTENÇÃO

SANITÁRIO DOS FUNCIONÁRIOS

FROTA DEFICITÁRIA E EM PÉSSIMAS CONDIÇÕES. ESSA AMBULÂNCIA ESTÁ SEM MOTOR.
CAMAS E ARMÁRIOS SEM MANUTENÇÃO DE PINTURA E FUNILARIA


O descaso com o ser humano chega até o seu final, como vemos nesta foto no necrotério do HCA.Temos tido apoio integral da SESAB para reverter tamanho absurdo administrativo.

Verdadeiro crime social . As reformas emergenciais serão concluídas no final de março. O HCA passará de 258 leitos de enfermaria para 400. Dos atuais 10 leitos de UTI adulto passaremos para 41.Nestes 24 anos de existência o HCA não tinha Serviço de Neurocirurgia.

Um absurdo inadmissível. Já contamos com um Serviço de Neurocirurgia e, mesmo com as dificuldades estruturais, já foram operados mais de 15 casos de trauma craniano.Mesmo assim vamos demorar muito para reverter este caos resultante destas administrações desastrosas e corruptas.

Eduardo Leite

eduardoleite@gastroajuda.com.br
http://www.gastroajuda.com.br/

CAOS NA SAÚDE. POR QUÊ AINDA CONTINUA? CAOS NA SAÚDE. POR QUÊ AINDA CONTINUA? Reviewed by Eduardo Leite on 8:46 AM Rating: 5

2 comentários:

Anônimo disse...

Eduardo,

Simplesmente fantastico o seu artigo, coerente, verdadeiro, sensato, ponderado, pontuado, enfim se todos os Orgãos do nosso Estado MOSTRASSEM com tanta verdade o que vinha acontecendo no decorrer desses anos de poder dos que só visavam o seu proprio beneficio e ascenção social e financeira, com certeza o nosso Brasil teria que ampliar as cadeias e criar algumas para poder absorver tantos representates desses atos ilicitos. Tenho certeza que em outros Orgãos houve devios e uso indevido de recursos públicos em detrimento dos anseios dos seus dirigentes mas no caso do HOSPITAL GERAL CLERISTON ANDRADE fico chocada porque eles não tiveram dignidade de ao menos escolher um local para depredar que não envolvesse VIDAS, depois me lembrei que a SAÚDE recebia recursos e por isso fácil de desviar.
PARABÉNS!! que o Senhor Jesus dê forças e sabedoria para que o senhor continue lutando por todos aqueles que não podem se manifestar. Oro pelo senhor sempre e agora mais do que nunca.
Em toda minha vida jamais vi homem de coragem semelhante. Enfrentar essa quadrilha que sugava o HGCA é prova irrefutavel do homem de carater e coragem que o senhor é.
É evidente as mudanças ocorridas no HGCA, forma fisica, de serviço mas acredite devagarinho o senhor já conseguiu mudar muita coisa e daqui a pouco ficará mais fácil fazer muito mais pois ver o pouco que já se conseguiu dá animo para esperar o que ainda está por vir. Tenho certeza que com o gás que o senhor tem demonstrado e por ser um homem destemido MUITAS MELHORIAS PARA AQUELE HOSPITAL estão por vir.

Drikaflor disse...

É de rasgar a alma...
beijão
www.drikaflor.zip.net

Tecnologia do Blogger.